Apesar de sermos adeptos fervorosos do comércio de rua, também somos atraídos por centros comerciais, que gostamos visitar e onde nos fazem sentir muito bem. Os nossos centros comerciais de eleição são o “Vasco da Gama”, em Lisboa, e o “Norteshopping”, no Porto.

O que importa no artigo de hoje é, com a ajuda da “International Council of Shopping Centers”, classificar os centros comerciais em função dos seus vários atributos. Antes de o fazermos vamos transcrever uma noção muito importante, que é o conceito de “Gross leasable area”:

“The gross surface area available for renting. It is made up of the sum of gross commercial surface areas including, in addition to the retail sales area, all the storage, goods handling and processing areas as well as offices of the individual businesses operating within the Centre. It does not include plant and equipment rooms. It is expressed in square meters.” (In “Valuation of shopping centres”, RICS professional guidance, Italy, 1st edition, December 2015).

João Fonseca | Centros comerciais | Perito avaliador de imóveis

Uma das classificações que podemos adotar é a referente à tipologia. Assim sendo, podemos dividi-los entre tradicionais e especializados. Os centros comerciais especializados são:

Retail Park
Espaços ao ar livre com lojistas especializados de médio e grande porte (“big boxes” ou “power stores”) que são na maioria independentes (não ligados). Como em outros centros comerciais ao ar livre, têm um amplo estacionamento pavimentado no local, que está localizado em frente às lojas e na envolvente, ao nível do solo.

As lojas oferecem produtos a um preço de venda muito competitivo.

Factory Outlet
Superfícies comerciais ao ar livre ou em espaços fechados, com lojas de fabricantes e que vendem produtos de marca com desconto, vendendo “stocks” excedentes, mercadorias de épocas anteriores ou de venda lenta.

Normalmente não tem “lojas âncora”, embora algumas lojas de marca possam servir como tal, atraindo público.

Theme-Oriented Centre
Para categorias específicas de retalho, que podem ser “Leisure-Based” ou “Non-Leisure-Based”, conforme tenham ou não espaços como cinema, incluindo restaurantes e bares combinados com outros espaços de lazer.

Todos os outros centros comerciais podem ser considerados tradicionais e são divididos de acordo com a sua “Gross leasable area”:

-Muito grandes: GLA > 80.000 m2
-Grandes: GLA entre 40.000 m2 e 79.999 m2
-Medias: GLA entre 20.000 m2 e 39.999 m2
-Pequenas: GLA entre 5.000 m2 19.999 m2

Neste artigo escrevemos só sobre uma pequena parte de um mundo de conceitos. Ainda relacionado com este tema, deveríamos ter abordado os conceitos “Catchment área”, “Anchor stores”, “Communal spaces”, “Footfall”, que são muito importantes para os centros comerciais tradicionais.