A palavra “metasearch” tem vindo a ser muito utilizada no mercado imobiliário e a suscitar o aparecimento de empresas que dizem recorrer a este tipo de plataformas.

Mas o que é “metasearch”? Recorremos ao blogue de Marco Gouveia que, achamos nós, descreve muito bem este conceito:

“As plataformas Metasearch consistem em motores de busca que enviam perguntas a muitos outros motores de busca, reúnem essa informação disponibilizada e a compilam numa única lista.

João Fonseca_Metasearch

Ainda em crescimento, e sem mostrar sinais de desaceleração, uma das grandes vantagens do Metasearch para os viajantes é a transparência de preço entre websites, bem como a apresentação dessa informação de forma simples e concisa. De facto, as plataformas Metasearch permitem comparar preços de voos e de hotéis mais facilmente e rapidamente: tendo em conta que cada viajante pesquisa em média 17 websites antes de reservar as suas férias, este processo é bastante facilitado com o uso de plataformas Metasearch, visto que parte dessa informação é reunida num só website.”

Esta tecnologia está a surgir no mercado imobiliário e já existem duas plataformas a servir os profissionais:

Reatia

Casafari

O que é que as duas plataformas têm em comum? Analisam dados sobre o mercado imobiliário e apresentam-nos de uma forma fácil.

Ao escrevermos estas linhas lembramo-nos se estas plataformas não poderiam ser utilizadas pela administração pública para disponibilizar ao mercado informação sobre o valor das transações imobiliárias, contribuindo para a transparência de todo o setor imobiliário.

Conforme o ainda deputado ao Parlamento Europeu Miguel Viegas escreveu, na dissertação Índices de preços imobiliários: um exercício na área Aveiro-Ílhavo (seguir o “link” para descarregar), falta uma compilação de índices de preços imobiliários. Miguel Viegas conclui, e bem, que esta lacuna prejudica o funcionamento dos mercados de habitação. 

Salientamos ainda uma passagem do estudo, pela sua importância, nomeadamente porque poderá servir de inspiração para a criação de legislação que possa ajudar a regular um mercado que bem necessita de regulação: 

“… We mention here only two examples. The first example concerns the index “Notaires-INSEE,” published in France since 2002, from an agreement between the INSEE (“Institut National de Statistique et des Etudes Economique”) and the superior council of notaries (“Conseil Supérieur du Notariat “). During the sales registration, all the descriptive information of the property is loaded into a database (BIEN, Base d’Informations Economique Notary) feeding later the construction of the price index. …”