Esta semana foi notícia a criação dos REIT em Portugal (“O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei relativo ao regime das sociedades de investimento e gestão imobiliária, que são denominadas de Real Estate Investment Trusts(REIT’s), segundo o comunicado divulgado pelo Conselho de Ministros.”- Jornal Económico).

João Fonseca | Avaliador de imóveis | 919375417

Neste artigo, com a ajuda da NAREIT- National Association of Real Estate Investment Trusts, vamos tentar explicar por palavras simples o conceito de REIT e como este instrumento pode democratizar o investimento em imobiliário, tornando-o acessível a todos.

REIT´s serão, em Portugal, sociedades de investimento em património imobiliário que possuirão, operarão ou financiarão imóveis de rendimento, proporcionando aos investidores a oportunidade de adquirir imóveis com valor, que poderão obter rendimentos pelas rendas geradas e também pela sua valorização dos imóveis (retorno total).

Os REIT´s permitem que qualquer pessoa invista em carteiras de ativos imobiliários da mesma forma que investem em outras indústrias – através da compra de ações de empresas cotadas em bolsa ou através fundos de investimento mobiliário. Os acionistas de um REIT ganham uma parte da renda produzida através do investimento imobiliário, sem ter que comprar, administrar ou financiar a propriedade.

A maioria dos REIT´s opera através de um modelo de negócios simples e de fácil compreensão: ao arrendar o espaço e arrecadar a renda de imóveis, a empresa gera receitas que são pagas aos acionistas na forma de dividendos. Por sua vez, os acionistas pagam o imposto sobre esses dividendos.

Normalmente, para uma sociedade de investimento imobiliário se constituir como um REIT, deve investir uma parte investir uma parte importante dos seus ativos em imóveis, obter uma também uma parte importante do seu rendimento bruto em arrendamento de imóveis, juros de hipotecas financiando bens imóveis ou de vendas de imóveis e afetar uma fatia considerável do seu lucro tributável ao pagamento anual de dividendos aos acionistas.

Existirão ainda outros fatores ter em conta, como seja a gestão profissional das sociedades, ter um número mínimo de acionistas e o seu capital estar disperso, por forma a não existirem posições dominantes.

Serão estes aspetos que, provavelmente, estarão definidos no decreto-lei elaborados pelo governo.

Os REIT’s são investimentos de retorno total. Eles normalmente fornecem dividendos altos, além do potencial de valorização moderada e de longo prazo do capital. Os retornos totais de longo prazo dos REIT tendem a ser semelhantes aos das ações e maior do que os retornos das obrigações de menor risco.

A história tem demonstrado, nomeadamente nos Estados Unidos da América, que os REIT’s oferecem aos investidores:

-Desempenho competitivo de longo prazo.

-Rendimentos de dividendos estáveis.

-Liquidez. Os REIT’s cotados em bolsa são negociáveis.

-Transparência. São veículos de investimento muito escrutinados analistas e auditores, bem como pela imprensa especializada.

Uma boa notícia!